Connect with us

Publicado

em

Uma empresa privada, denominada Mara Phones pertencente ao grupo Mara da Ruanda, inaugurou o que está sendo descrito como a “primeira fábrica de smartphones de alta tecnologia” da África em Kigali capital do país.

A Mara Phones lançou dois smartphones recentemente descrevendo-os como os primeiros modelos “Made in Africa” dando um impulso às ambições do país para se tornar um pólo tecnológico regional e destacando se na África na produção local de produtos eletrônicos.

Conheça o Mara X e Mara Z

Mara está produzindo dois tipos de smartphones em Ruanda: o Mara X com 16GB de espaço de armazenamento custará $130 (120.250 francos ruandês), enquanto o mais avançado Mara Z modelo com 32GB de armazenamento custará $190 (175.750 francos ruandês), os dois smartphones usaram o sistema operacional Android GO da Google a empresa disse.

maraphones vhona

Mara X e Mara Z | Fonte: Mara Phones

Com os dois modelos à venda, eles vão competir com os fabricantes asiáticos como Tecno e Samsung que atualmente dominam a África.

A maior fabricante de smartphones da África é a Transsion, uma empresa chinesa que domina o continente com a sua marca Tecno. a empresa baseada em Shenzhen não faz negócios na China, apesar de estar sediada lá, mas controla uma grande parte do mercado de smartphones na África, onde tem mais de 50% de vendas no mercado.

mara fabrica

Fonte: Mara Phones

O grupo Mara, conglomerado Pan-Africano, com sede em Dubai, espera pioneira na marca de um smartphone Africano. Mara é a primeira fabricante de smartphones na África que iria fabricar “smartphones de alta qualidade a um preço acessível”.

O Presidente da Ruanda, Paul Kagame Monday, elogiou primeiramente a unidade pelo foco em smartphones acessíveis e sublinhou a necessidade de impulsionar a adoção de produtos de alta tecnologia em seu país. Segundo confessou ainda que a instalação é “um passo importante” para a Ruanda, que tem trabalhado para se transformar em um líder de inovação econômica.

O grupo Mara está pronto para lançar sua próxima fábrica de smartphones na África do Sul em 17 de outubro.

 

Idriss é um editor criativo que cobre matérias interessante sobre design, história e criatividade das grandes empresas do mundo. Ele também contribui com os gráficos e a identidade visual do Vhona.

Continue Lendo
Clique para comentar

Responder

Inovação

Samsung revela o primeiro smartphone do mundo com tecnologia de segurança quântica

Este smartphone foi equipado com ferramentas que tornam as invasões muito difíceis de acontecer

Publicado

em

A Samsung e a SK Telecom acabaram de lançar o primeiro smartphone 5G do mundo com um Quantum Random Number Generator (QRNG). Chama-se Galaxy A Quantum e as empresas envolvidas afirmam que atualmente no mundo não há tecnologia que consiga invadir este smartphone. Em termos de dispositivos, estamos a falar de um Galaxy A71 5G.

Este smartphone foi equipado com ferramentas que tornam as invasões muito difíceis de acontecer.

Samsung apresenta alta segurança quântica

Nos dispositivos que hoje usamos, os geradores de números aleatórios normais são utilizados para aceder a uma variedade de serviços de smartphones, tais como plataformas de pagamento e autenticação de dois fatores. Contudo, estes muitas vezes são mal utilizados e acabam por não ser tão seguros como deveriam.

No entanto, o chipset QRNG – o mais pequeno do mundo com apenas 2,5 mm por 2,5 mm – utiliza um sensor de imagem LED e CMOS. O LED emite “ruído de imagem” e o sensor CMOS capta a sua aleatoriedade quântica. Posteriormente, estes padrões são utilizados de forma imprevisível para criar cadeias de números verdadeiramente aleatórias.

De acordo com a SK Telecom, não existe nenhuma tecnologia que possa piratear isto. Assim, tal inovação faz do Galaxy A Quantum um dos telefones mais seguros do mercado (embora seja de salientar que o chip – também conhecido como SKT IDQ S2Q000 – foi concebido para ser utilizado exclusivamente com serviços SK). É claro que os hackers adoram um desafio.

Mais que um smartphone Samsung, este é um cofre

Segundo o que foi dado a conhecer, o próprio telefone vem com um ecrã Super AMOLED Infinity-O de 6,7 polegadas com resolução Full HD e um leitor de impressões digitais no ecrã. Uma configuração traseira de quatro câmaras, que inclui uma câmara principal de 64 megapíxeis, uma câmara de 12 megapíxeis de ângulo ultrarrápido, uma câmara macro de cinco megapíxeis e um sensor de profundidade de cinco megapíxeis. Além disso, há uma câmara de 32 megapíxeis na frente.

Todo o dispositivo é alimentado por um processador Exynos 980. A gerir tudo está o Android 10 com One UI 2.0 e vem com 8GB de RAM e 128GB de armazenamento. Além disso, oferece todas as funcionalidades de conectividade, incluindo WiFi, GPS, 5G, LTE, Bluetooth 5.0, NFC, uma porta USB-C, um cartão microSD e uma importante tomada para auscultadores de 3,5 mm.

Assim, embora o seu trunfo seja certamente o chipset QRNG, o dispositivo em si é uma potência decente e versátil.

Preço e disponibilidade

Conforme foi anunciado, este aparecerá disponível em preto, azul e prata e estará à venda na Coreia do Sul a partir de 22 de maio. O preço será de 649.000 KRW (cerca de 36 mil meticais).

Apesar de ser uma excelente notícia, é de lembrar que esta não é a primeira vez que a Samsung e a SK Telecom fazem uma parceria para uma estreia mundial. Em setembro do ano passado, a dupla anunciou que se estava a juntar para desenvolver a primeira televisão 8K com velocidades de 5G.

Portanto, numa altura em que a segurança está sem grandes novidades tecnológicas, é interessante ver esta abordagem. A Samsung tem insistido na sua cruzada quântica dedicada a uma variedade de aplicações, embora esta seja a primeira vez que a vemos aplicada à tecnologia dos smartphones. Vamos então esperar que o mundo conheça esta “inovação”!

FONTE: pplware

Continue Lendo

Inovação

Sistema de transporte Loop de Elon Musk deverá estar pronto em 2021

O primeiro Loop a ser inaugurado, deverá ser o do Centro de Convenções de Las Vegas cujo túnel já foi finalizado

Publicado

em

A empresa Boring Company de Elon Musk está empenhada em criar um sistema de transporte subterrâneo completamente revolucionário. De forma a fugir ao trânsito de Las Vegas, os carros irão entrar num túnel que os leva de um ponto ao outro da cidade de forma muito mais rápida.

Para já, o primeiro Loop a ser inaugurado, deverá ser o do Centro de Convenções de Las Vegas cujo túnel já foi finalizado.

Centro de Convenções de Las Vegas será o primeiro a receber o Loop

A Boring Company finalizou a construção de um túnel no Centro de Convenções de Las Vegas com vista a implementar o sistema de transportes Loop já em 2021. Apelidado de Las Vegas Convention Center Loop – LVCC Loop -, irá proporcionar um sistema de transporte rápido e conveniente para os participantes de convenções e feiras que decorrem naquele espaço.

Trata-se de um percurso de 1 milha (1,61 km) que pode custar até 52,5 milhões de dólares. Se tudo correr como esperado, deverá ficar concluído em 2021.

O projeto tem como objetivo transportar, através de carros Tesla, mais de 4000 pessoas por hora dentro do Centro de Congressos. Assim, uma caminhada de 15 minutos, passará a demorar apenas 2 minutos.

Para o futuro, deverá haver uma ligação do Loop à Strip, ao Aeroporto Internacional de MacCarran e ao estádio de Las Vegas. Mas ainda não há anúncio de quando se iniciaram os trabalhos.

A pensar na CES 2021

Neste momento, existem dois túneis completos (o primeiro foi finalizado em fevereiro). Agora, a Boring Company vai começar a trabalhar nas estações no início e final do percurso e ainda numa terceira paragem a meio do percurso que irá ligar o Loop à estação de metro.

O objetivo, se a pandemia assim o permitir, é que o sistema de transportes esteja pronto a tempo da CES 2021 – Consumer Eletronics Show. Assim, será melhorada a circulação das centenas de pessoas que por lá irão passar e minimizando o desgaste físico habitual deste tipo de eventos.

Continue Lendo

Inovação

A Vodacom e a Loon aumentam o acesso à Internet em Moçambique

A Loon ajudará a Vodacom a expandir o acesso à rede móvel em Moçambique, através de torres flutuantes de celulares que operam 20 quilômetros acima da Terra.

Publicado

em

MIT

A Vodacom e a Loon da Alphabet empresa mãe da Google assinaram um acordo para usar a solução de Internet com balões da Loon para expandir a rede da Vodacom em Moçambique. Nos termos do contrato, Loon ajudará a Vodacom a prestar serviços a partes menos servidas do país com uma rede de torres flutuantes de celulares que operam 20 quilômetros acima da Terra.

Usando a solução Loon, a Vodacom expandirá o acesso à rede móvel nas províncias de Cabo Delgado e Niassa, duas regiões que se mostraram difíceis de cobrir no passado devido às vastas áreas geográficas e logisticamente desafiadoras, juntamente com a baixa densidade populacional.

Esta parceria visa fornecer um serviço 4G que suporta dados, voz, SMS e USSD, que também permitirá serviços financeiros móveis. O serviço estará disponível para qualquer assinante da Vodacom com um aparelho padrão habilitado para 4G-VoLTE e cartão SIM.

Techspective

Os usuários não precisarão fazer nada de especial para se conectar ao serviço; eles se conectaram exatamente como fariam a uma torre celular normal. De fato, é improvável que um usuário saiba que está conectado ao serviço fornecido por um balão de alta altitude, exceto pelo fato de que eles podem ter um sinal em um local onde ele não existia anteriormente.

A parceria da Vodacom com a Loon é um exemplo perfeito de como a inovação tecnológica pode conectar as comunidades mais rurais da África. Temos o prazer de fazer parte dessa iniciativa em Moçambique, que está ajudando a diminuir o fosso digital, afirma Shameel Joosub – CEO do Grupo Vodacom.

Isso é ainda mais pertinente diante da pandemia do COVID-19, onde mais moçambicanos terão agora acesso a informações de saúde.

A Loon e a Vodacom têm trabalhado em colaboração com os reguladores de comunicações e aviação de Moçambique, incluindo a Autoridade Reguladora das Comunicações de Moçambique (ARECOM) e o Instituto de Aviação Civil de Moçambique (IACM), para obter as aprovações necessárias para permitir o serviço em Moçambique.

“Estamos extremamente satisfeitos por fazer parceria com a Vodacom para começar a servir partes de Moçambique nos próximos meses”, diz Alastair Westgarth – CEO da Loon.

A Loon e a Vodacom trabalharão juntos para continuar instalando a infraestrutura terrestre, que servirá como ponto de conexão físico dos balões da Loon à Internet e à rede principal da Vodacom. A Loon também começará a testar os balões acima de Moçambique para estudar os padrões do vento estratosférico nos quais os balões devem navegar para permanecer acima da área de serviço.

O teste de integração da rede está em andamento para garantir que esta solução inovadora funcione conforme o esperado. A Loon e a Vodacom esperam começar a prestar serviços aos usuários nos próximos meses.

 

FONTE: IT News Africa

Continue Lendo

Inovação

África do Sul está expandindo seu novo sistema de vistos eletrônicos

Africa do Sul expandirá seu sistema de e-Visa nos próximos meses, facilitando a entrada de turistas no país graças à captura on-line de pedidos de visto e informações biométricas.

Publicado

em

O Departamento de Assuntos Internos da vizinha Africa do Sul expandirá seu sistema de e-Visa nos próximos meses, facilitando a entrada de turistas no país graças à captura on-line de pedidos de visto e informações biométricas.

Em uma apresentação parlamentar na terça-feira (18 de fevereiro), o departamento indicou que conseguiu com sucesso um visto eletrônico no Quênia, com planos de estender o piloto para a Índia, Nigéria e China ao longo deste trimestre.

Depois de abordar uma série de “questões iniciais”, espera-se concluir a etapa de pilotagem com o objetivo de introduzir o programa.

A África do Sul iniciou testes em um novo sistema de vistos eletrônicos em novembro de 2019. Falando à BusinessTech na época, o porta-voz do Departamento de Assuntos Internos, Siya Qoza, disse que o piloto pretende testar a resiliência do sistema, com o departamento já realizando testes bem-sucedidos em novembro de 2019. um ambiente controlado.

“O piloto será conduzido com o Quênia primeiro nos aeroportos OR Tambo e Lanseria”, disse ele. “No final do mês, avaliaremos o projeto e analisaremos para quais outros países expandir o sistema de vistos eletrônicos”.

Qoza acrescentou que o sistema é rápido e foi projetado para ser o mais amigável possível.

Ele estimou que todo o processo de inscrição levaria cerca de 20 minutos, desde que o candidato tenha todos os documentos comprovativos necessários prontos para o envio.

Se um dos documentos necessários estiver faltando, os candidatos poderão retomar o processo exatamente de onde pararam posteriormente, disse ele.

Fonte: BusinessTech

Continue Lendo
Publicidade

Facebook

Publicidade

Tendência