CONECTE-SE CONOSCO

Segurança Cibernética

Firefox lança um aplicativo VPN para Android e Windows

A Mozilla, a organização por trás do navegador Firefox, está trazendo seu serviço VPN (Rede Privada Virtual) para Android e Windows 10.

Publicado

em

A Mozilla, a organização por trás do tão amado navegador Firefox, experimenta criar um serviço VPN há algum tempo. Ao contrário das VPNs fornecidas com navegadores como o Opera, a Mozilla sempre pretendeu que fosse um serviço pago, para evitar o lucro dos dados do usuário. Enquanto o serviço VPN ainda está em uma versão beta fechada, o aplicativo Android agora está disponível.

A lista da Play Store é leve em detalhes, mas o site oficial da Firefox Private Network tem tudo o que você precisa saber. O serviço é alimentado pela VPN Mullvad, que afirma ter uma política de não registro em log. Em vez de protocolos mais tradicionais como OpenVPN ou IPsec, o Firefox Private Network utiliza o novo padrão WireGuard, projetado para oferecer velocidades mais rápidas e criptografia aprimorada. A maioria dos serviços de VPN não suporta o WireGuard, portanto essa é provavelmente a principal vantagem do serviço do Firefox.

Mozilla VPN - A secure, private and fast VPN
Mozilla VPN - A secure, private and fast VPN
Developer: Mozilla
Price: To be announced
  • Mozilla VPN - A secure, private and fast VPN Screenshot
  • Mozilla VPN - A secure, private and fast VPN Screenshot
  • Mozilla VPN - A secure, private and fast VPN Screenshot
  • Mozilla VPN - A secure, private and fast VPN Screenshot
  • Mozilla VPN - A secure, private and fast VPN Screenshot
  • Mozilla VPN - A secure, private and fast VPN Screenshot
  • Mozilla VPN - A secure, private and fast VPN Screenshot

O Firefox Private Network também possui servidores em mais de 30 países e suporta até cinco conexões simultâneas. Atualmente, o serviço custa US $ 4,99/mês, embora o Firefox diga que este é “preço beta por tempo limitado”.

Você ainda precisa de um convite para experimentá-lo ou podes se inscrever para receber um convite aqui.

Jose é um editor sênior criativo, que gosta de tecnologia. Tem um interesse profundo no Android e nos jogos da plataforma, e ainda acredita que o WebOS é o futuro da computação moderna.

Continue Lendo
Clique para Comentar

Responder

Android

Dispositivos Android mais antigos não suportarão muitos sites seguros até setembro de 2021

Uma solução alternativa parcial está disponível instalando o Firefox (a Mozilla é parceira do Let’s Encrypt) e usando seu próprio armazenamento de certificados.

Publicado

em

Você pode ter que atualizar seu telefone Android em pouco tempo se quiser visitar grandes partes da web segura. A Certificate Authority Let’s Encrypt está advertindo que os telefones rodando versões do Android 7.1.1 Nougat e inferiores não vai confiar em seu certificado raiz a partir de 2021, deixando-os defora de diversos sites seguros. A organização interromperá a assinatura cruzada padrão para o certificado que habilita essa funcionalidade em 11 de janeiro de 2021 e abandonará totalmente a parceria de assinatura cruzadas em 1º de setembro do mesmo ano.

Uma solução alternativa parcial está disponível instalando o Firefox (a Mozilla é parceira do Let’s Encrypt) e usando seu próprio armazenamento de certificados, mas isso não ajudará com clientes rivais ou funcionalidade além dos navegadores.

É totalmente comum que os desenvolvedores abandonem o suporte para sistemas operacionais mais antigos. No entanto, isso pode ser um ponto sensível, dadas as políticas de atualização do Android. A Let’s Encrypt observou que cerca de 33,8 por cento dos usuários do Android no Google Play executam uma versão anterior à 7.1, e alguns fornecedores de hardware cortaram o suporte antes do tempo.

Não era incomum para os fornecedores de Android oferecerem relativamente poucas atualizações nos anos anteriores, e alguns dispositivos (normalmente telefones de baixo custo) ficavam presos no sistema operacional de remessa. Você pode ter comprado um telefone em 2016 ou mesmo em 2017 que poderia perder definitivamente o acesso a alguns sites, pelo menos sem soluções alternativas.

A situação está melhorando. A Samsung e outros fabricantes de Android estão se comprometendo com três anos de atualizações do sistema operacional . Isso não mudará a realidade de muitas pessoas com hardware mais antigo, e pode haver poucos recursos se você não puder ou não quiser usar o Firefox. Mesmo que muitos outros sites continuem funcionando, o suporte inconsistente pode ser um incômodo no mínimo e um grande obstáculo na pior das hipóteses.

Continue Lendo

Segurança Cibernética

Mas de 28 mil impressoras foram hackeados segundo Pesquisadores

Os ataques à amostra de 50 mil dispositivos de impressão tiveram 56% de sucesso.

Publicado

em

Especialistas em segurança cibernética hackearam 27.944 mil impressoras, fazendo com que os dispositivos começassem a imprimir um aviso informando sobre a invasão e várias instruções sobre como proteger impressoras conectadas à internet. A ideia por trás do estudo em parceria com o site CyberNews é o de alertar proprietários de dispositivos de impressão sobre a importância de também proteger os periféricos.

Os especialistas não só conseguiram assustar os usuários hackeados, como também provaram que ameaças são capazes de se infiltrar na maioria parte das máquinas: entre 800 mil impressoras conectadas, pelo menos 447 mil não estão seguras, segundo o estudo.

O Experimento

Os endereços de IP das máquinas vulneráveis foram localizados usando ferramentas de busca de IoT, como Shodan e Censys. Com eles, foi possível rastrear 800 mil aparelhos com recursos de impressão. Um total alarmante de quase 500 mil desses últimos podiam ser hackeados, mas os especialistas optaram por invadir apenas 50 mil dispositivos, levando em conta fabricantes, localização e protocolos necessários.

A taxa de sucesso nos ataques foi de 56% considerando a amostra selecionada, já que os pesquisadores conseguiram invadir ‘somente’ 27.944 impressoras. Para isso, desenvolveram um script personalizado para o processo de impressão desejado. Ao lançar esse script, os demais processos em curso nos aparelhos não protegidos foram sequestrados. Por consequência, as impressoras começaram a imprimir o guia de segurança, surpreendendo os donos dos aparelhos.

Em 2018, um caso semelhante ocorreu quando um hacker entediado imprimiu 50 mil folhetos em apoio ao famoso vlogger PewDiePie em impressoras no Canadá e Reino Unido.

Saiba como proteger a sua impressora

  1. Ao definir configurações de rede, procure sempre limitar o acesso às conexões sem fio da impressora ao roteador. Isso fará com que o aparelho obedeça apenas ordens de portas específicas do roteador. É importante lembrar que o protocolo padrão para impressão segura é o IPPS via porta SSL 443.

  2. Use Firewall, ele vai proteger protocolos não utilizados que podem abrir brechas a hackers se aproveitam de vulnerabilidades. O dispositivo analisa o tráfego de rede para determinar quais comandos de transmissão ou recepção de dados podem ser realizados.

  3. Existem algumas vulnerabilidades que são identificadas pelos fabricantes, que em resposta lançam novas atualizações para o firmware. Por isso, é sempre importante manter a impressora atualizada para evitar problemas de segurança.

  4. Recomendamos também que altere a senha de administrador – toda impressora com acesso à internet possui um usuário e uma senha. Deixe de lado a configuração padrão. Pense em algo recordável, porém com bastante tipos de caracteres e difícil de ser adivinhador. Para trocar a senha, acesse as configurações do utilitário da impressora. Lembre-se de sempre configurar para exigir credenciais de acesso (logon).

Continue Lendo

Inovação

Samsung revela o primeiro smartphone do mundo com tecnologia de segurança quântica

Este smartphone foi equipado com ferramentas que tornam as invasões muito difíceis de acontecer

Publicado

em

A Samsung e a SK Telecom acabaram de lançar o primeiro smartphone 5G do mundo com um Quantum Random Number Generator (QRNG). Chama-se Galaxy A Quantum e as empresas envolvidas afirmam que atualmente no mundo não há tecnologia que consiga invadir este smartphone. Em termos de dispositivos, estamos a falar de um Galaxy A71 5G.

Este smartphone foi equipado com ferramentas que tornam as invasões muito difíceis de acontecer.

Samsung apresenta alta segurança quântica

Nos dispositivos que hoje usamos, os geradores de números aleatórios normais são utilizados para aceder a uma variedade de serviços de smartphones, tais como plataformas de pagamento e autenticação de dois fatores. Contudo, estes muitas vezes são mal utilizados e acabam por não ser tão seguros como deveriam.

No entanto, o chipset QRNG – o mais pequeno do mundo com apenas 2,5 mm por 2,5 mm – utiliza um sensor de imagem LED e CMOS. O LED emite “ruído de imagem” e o sensor CMOS capta a sua aleatoriedade quântica. Posteriormente, estes padrões são utilizados de forma imprevisível para criar cadeias de números verdadeiramente aleatórias.

De acordo com a SK Telecom, não existe nenhuma tecnologia que possa piratear isto. Assim, tal inovação faz do Galaxy A Quantum um dos telefones mais seguros do mercado (embora seja de salientar que o chip – também conhecido como SKT IDQ S2Q000 – foi concebido para ser utilizado exclusivamente com serviços SK). É claro que os hackers adoram um desafio.

Mais que um smartphone Samsung, este é um cofre

Segundo o que foi dado a conhecer, o próprio telefone vem com um ecrã Super AMOLED Infinity-O de 6,7 polegadas com resolução Full HD e um leitor de impressões digitais no ecrã. Uma configuração traseira de quatro câmaras, que inclui uma câmara principal de 64 megapíxeis, uma câmara de 12 megapíxeis de ângulo ultrarrápido, uma câmara macro de cinco megapíxeis e um sensor de profundidade de cinco megapíxeis. Além disso, há uma câmara de 32 megapíxeis na frente.

Todo o dispositivo é alimentado por um processador Exynos 980. A gerir tudo está o Android 10 com One UI 2.0 e vem com 8GB de RAM e 128GB de armazenamento. Além disso, oferece todas as funcionalidades de conectividade, incluindo WiFi, GPS, 5G, LTE, Bluetooth 5.0, NFC, uma porta USB-C, um cartão microSD e uma importante tomada para auscultadores de 3,5 mm.

Assim, embora o seu trunfo seja certamente o chipset QRNG, o dispositivo em si é uma potência decente e versátil.

Preço e disponibilidade

Conforme foi anunciado, este aparecerá disponível em preto, azul e prata e estará à venda na Coreia do Sul a partir de 22 de maio. O preço será de 649.000 KRW (cerca de 36 mil meticais).

Apesar de ser uma excelente notícia, é de lembrar que esta não é a primeira vez que a Samsung e a SK Telecom fazem uma parceria para uma estreia mundial. Em setembro do ano passado, a dupla anunciou que se estava a juntar para desenvolver a primeira televisão 8K com velocidades de 5G.

Portanto, numa altura em que a segurança está sem grandes novidades tecnológicas, é interessante ver esta abordagem. A Samsung tem insistido na sua cruzada quântica dedicada a uma variedade de aplicações, embora esta seja a primeira vez que a vemos aplicada à tecnologia dos smartphones. Vamos então esperar que o mundo conheça esta “inovação”!

FONTE: pplware

Continue Lendo

Inovação

África do Sul está expandindo seu novo sistema de vistos eletrônicos

Africa do Sul expandirá seu sistema de e-Visa nos próximos meses, facilitando a entrada de turistas no país graças à captura on-line de pedidos de visto e informações biométricas.

Publicado

em

O Departamento de Assuntos Internos da vizinha Africa do Sul expandirá seu sistema de e-Visa nos próximos meses, facilitando a entrada de turistas no país graças à captura on-line de pedidos de visto e informações biométricas.

Em uma apresentação parlamentar na terça-feira (18 de fevereiro), o departamento indicou que conseguiu com sucesso um visto eletrônico no Quênia, com planos de estender o piloto para a Índia, Nigéria e China ao longo deste trimestre.

Depois de abordar uma série de “questões iniciais”, espera-se concluir a etapa de pilotagem com o objetivo de introduzir o programa.

A África do Sul iniciou testes em um novo sistema de vistos eletrônicos em novembro de 2019. Falando à BusinessTech na época, o porta-voz do Departamento de Assuntos Internos, Siya Qoza, disse que o piloto pretende testar a resiliência do sistema, com o departamento já realizando testes bem-sucedidos em novembro de 2019. um ambiente controlado.

“O piloto será conduzido com o Quênia primeiro nos aeroportos OR Tambo e Lanseria”, disse ele. “No final do mês, avaliaremos o projeto e analisaremos para quais outros países expandir o sistema de vistos eletrônicos”.

Qoza acrescentou que o sistema é rápido e foi projetado para ser o mais amigável possível.

Ele estimou que todo o processo de inscrição levaria cerca de 20 minutos, desde que o candidato tenha todos os documentos comprovativos necessários prontos para o envio.

Se um dos documentos necessários estiver faltando, os candidatos poderão retomar o processo exatamente de onde pararam posteriormente, disse ele.

Fonte: BusinessTech

Continue Lendo

Tendências